REcine - Nas ondas do rádio

Heitor Villa-Lobos - O erudito de alma popular

  • Heitor Villa-Lobos
  • Hora do Brasil
  • Villa-Lobos e sua esposa Mindinha
  • Maestro Heitor Villa-Lobos
Ampliar

Heitor Villa-Lobos

O REcine homenageia o compositor, violoncelista e maestro Heitor Villa-Lobos.

Carioca das Laranjeiras, o Maestro absorveu as melhores influências do som popular das ruas do Rio de Janeiro. Em sua juventude chegou a "emprestar" seu violão clássico a um grupo de chorões do qual fazia parte e que tinha como ponto de encontro a loja O cavaquinho de ouro, na Rua da Carioca.

Companheiro de Eduardo das Neves, Ernesto Nazareth, Anacleto de Medeiros e Catulo da Paixão Cearense, Villa-Lobos organizou para o carnaval carioca o pitoresco bloco Sodade do cordão, o que evidencia sua paixão pela música das ruas e cantos da cidade. Estas e outras influências populares, como as canções folclóricas brasileiras, são aproveitadas em muitos dos temas de suas mais de mil composições.

Durante o Estado Novo dedicou-se à educação musical e ao canto orfeônico, reunindo milhares de estudantes e cantores de renome nos famosos concertos do estádio do Vasco da Gama, em São Januário.

Villa-Lobos constrói sua carreira entre Rio, Paris e Nova Iorque. Sem dúvida, a originalidade e sucesso de sua obra residem na mistura de simplicidade e sofisticação que coroam suas composições, tornando-as grandiosas e fazendo dele o maior compositor erudito que o Brasil já produziu. 

 

Na década de 1930, Heitor Villa-Lobos é nomeado superintendente de educação musical e artística pelo presidente Getúlio Vargas, que considerava o canto orfeônico um caminho adequado para a educação musical. Em 1940, durante o Estado Novo, o maestro rege no estádio do Vasco da Gama uma concentração orfeônica que reúne 40 mil escolares. Em sua numerosa obra, aproveitou com frequência temas, ritmos e células de motivos populares urbanos, sobretudo da cidade do Rio de Janeiro.
Heitor Villa-Lobos. 21/4/1950. Correio da Manhã

Ampliar

Hora do Brasil

O maestro Villa-Lobos ao microfone da Hora do Brasil. 16/6/1936. Correio da Manhã
Ampliar

Villa-Lobos e sua esposa Mindinha

"Irei aos Estados Unidos somente quando os americanos quiserem me receber como eles recebem a um artista europeu, isto é, em razão das minhas próprias qualidades e não por considerações políticas (...)." Apesar da resistência inicial - é o momento da chamada "política da boa vizinhança" praticada pelos EUA com aliados na Segunda Guerra Mundial -, Villa-Lobos, convencido pelo maestro Leopold Stokowski, aceita o convite do maestro norte-americano Werner Janssen para uma turnê pelos EUA, em 1944.
Villa-Lobos e sua esposa, Arminda Neves de Almeida, a Mindinha, embarcam para os Estados Unidos. 1944. Correio da Manhã

Ampliar

Maestro Heitor Villa-Lobos

2/2/1952. Correio da Manhã